''Ela se olhou no espelho, cabelos na altura do ombro, olhos tristes e profundos, suspirou. Nada mais parecia encaixar no seu rosto redondo, suas maças estavam coradas devido ao calor que fazia lá fora e seu cabelo bagunçado pelo vento no caminho. Ela se lembrava especialmente daquela arvore proxima a sua janela, como esquecer? Eles passaram ali juntos as férias de verão, o cenário parecia menos vivo agora. Ela se lembrava de tudo, da velha camisa e seu cabelo castanho jogado de um jeito bagunçado, mas especialmente charmoso. Os dois eram muito parecidos, apesar de ter sonhos completamente diferentes. Ela era uma garota simples, que abandonara os sonhos de ser uma grande profissional e agora sonhava apenas em ser uma boa mãe e boa esposa. Ele sempre deixou claro que era um homem desejado, que havia tido muitas experiências anteriores, mas ela acreditava que com ela seria diferente. Era um confiar desconfiado, mas era bom estar deitada no peito dele, debaixo daquela arvore e ver que nada nem ninguem afetaria aquele amor. A verdade é dura com a gente, mal ela terminou de arrumar seus pensamentos e planos e o sonho que no inicio pareceu tão perfeito se tornou um verdadeiro pesadelo. Ele era cruel, ambicioso e vaidoso, além de ser muito egoísta e galinha, não tardou muito para as agressões verbais virem junto com empurrões, apertões e alguns tapas. Depois das discussões, ele sempre encontrava um jeito de colocar toda a culpa nela. Se ele a traia, ela era a culpada por não saber manter sequer seu homem em casa. Ela suportou toda humilhação, falta de afeto e de atenção por dois longos anos, mas no verão de 98, ela com o dedo no gatilho
resolveu seu problema para sempre. Dois tiros, um no coração, se é que ele possuia um e outro no meio da testa. Nunca mais homem nenhum lhe trataria assim. Hoje, olhando pela janela, ela vê o retrato de uma vida maldita, regada por um amor doentio e cruel, mas ela jamais conseguiu esquecer aquele verão, que mesmo depois de toda tragédia ela ainda intitulara como o Melhor Verão de sua vida. Saiu pela porta, sentou-se debaixo da arvore e apertou o gatilho. Era o fim, não como o fim de Romeu e Julieta, mas era o fim. "

2 comentários:

thaalyta K. disse...

nossa que texto é perfeito*-*
pois é , é triste ver que um sonho pode virar pesadelo do dia para noite. nada na vida é como a gente quer. temos que aceitar a realidade que todos vão nos magoar, e cabe a nós decidirmos por quem vamos sofrer. cada atitudes que tomamos faz com que magoemos alguém, temos apenas de ter o cuidado de não magoar as pessoas erradas. o final do seu texto ficou espetacular, parabéens \õ/

amo mesmo seu blog e seus textos.

beijos e fica com Deus:*

Sandro Honorato disse...

Olá e ai tudo bem?
Esse texto ficou muito bom.
Mesmo sendo triste,eu gostei.
As vezes nem tudo acontece do jeito que a gente gostaria,assim é o amor.
Beijos e um bom fim de semana
------------------RIMAS DO PRETO

Postar um comentário

Copyright 2009 Desconquistas em Série. All rights reserved.
Sponsored by: Website Templates | Premium Wordpress Themes | consumer products. Distributed by: blogger template.
Bloggerized by Miss Dothy